Avatar olhar_urbanoide

357 Magnum

O cartucho para revolveres .357 Magnum foi criado por Elmer Keith, Phillip Sharpe e a empresa Smith & Wesson. Baseado no .38 Special , o .357 Magnum foi introduzido em 1934 e tem sido bastante difundido desde então.
Projeto
O calibre .357 Magnum foi desenvolvido entre o início e meados da década de 1930's numa resposta direta ao .38 Super Automatic da fábrica Colt. Naquele tempo , o .38 Super Automatic era o único cartucho de pistola capaz de atravessar a lataria de automóveis e os primeiros coletes balísticos que estavam começando a surgir na época pós Primeira Guerra Mundial. Testes da época revelaram que esses primeiros coletes resistiam a qualquer cartucho de arma curta com velocidade inferior a ~1000 pé/s. O .38 Super Automatic da Colt ultrapassava levemente esta velocidade, e era capaz de perfurar as portas dos carros e os coletes que os contrabandistas e gangsters usavam como proteção. Para mudar a situação, e reafirmar-se como a líder em fornecimento de armamento para forças policiais, a Smith and Wesson desenvolveu o .357 Magnum. O novo cartucho foi desenvolvido a partir do .38 Special, adicionando-se mais pólvora e por fim estendendo o comprimento do estojo em 1/8 de polegada (3,175 mm). Esta extensão do estojo foi mais por questões de segurança do que por necessidade de espaço, pois como o .38 Special e o novo .357 Magnum seriam identicos externamente, seria possível carregar um cartucho .357 Magnum em um revólver .38 Special, com resultados potencialmente desastrosos. Extendendo o estojo ligeiramente tornou impossível o uso do cartucho magnum em armas~com o tambor menor do .38 Special. Muito do crédito do desenvolvimento do .357 é devido ao caçador e experimentador Elmer Keith. O trabalho de Keith na recarga de cartuchos .38 Special para níveis de pressão mais e mais elevados só foi possível pela existência de revólveres reforçados, destinados a prática de tiro ao alvo, como os Smith & Wesson 38/44 "Heavy Duty" e "Outdoorsman", revóveres em calibre .38, construídos na armação de revólveres calibre .44. Enquanto o .38 Special é limitado a 16.500 c.u.p. de pressão, o .357 Magnum é carregado até 35,000 c.u.p. O objetivo era a criação de um cartucho para arma curta que combinasse grande penetração, trajetória tensa e longo alcance.
O calibre é excelente para o uso em defesa pessoal; ele ainda goza de uma reputação como padrão máximo de stopping power entre os cartuchos de armas curtas. Algumas das pessoas que já usaram o calibre em situações reais descrevem a reação de uma pessoa atingida pelo mesmo como se fosse "atingido por um raio". Para a caça de grande porte, o .357 Magnum é inferior ao .44 Magnum, .454 Casull, .41 Magnum e outros cartuchos magnum maiores. Ainda assim é um bom cartucho para caça de pequeno e médio porte, abatendo facilmente um veado a curta distência e sendo usado por um bom atirador. Ele tem mais stopping power do que .45 Long Colt e sua trajetória masi tensa torna mais fácil acertar caça de pequeno porte a uma distãncia de até ter trajectory makes hits on small game much easier 60 metros. É um cartucho muito versátil, podendo ser usado com sucesso para defesa pessoal, tiro recreativo, caça ou tiro ao alvo. As armas projetadas para o 357 têm a vantagem de poderem ser usadas sem ad a necessidade de adaptações com o .38 Special (com seu menor custo, menor recuo, menos barulho, etc), aumentando sua gama de utilizações. É popular também como cartucho para carabinas de ação por alavanca e rifles pequenos e leves, sendo que a velocidade alcançada com o maior cano dos rifles e carabinas pode chegar a 1800 pés por segundo, tornando-o mais versátil que o .30 Carbine ou o 32-20 Winchester. Na década de 1930 ele era considerado muito eficiente na penetração de coletes balísticos de aço,e cartuchos perfurantes já foram populares nas polícias, especialmente as rodoviárias dos Estados Unidos. No uso policial, o revólver .357 tem sido largamente substituido pelas modernas pistolas semi-automáticas de grande capacidade, mas ainda é bastante popular entre seguranças, caçadores e outros civis (N.T. Isto obviamente nos Estados Unidos...). O .357 Magnum é um competidor direto com o .38 Super o qual é usado em pistolas semi-automáticas. O .38 Super concorre seriamente com o .357 em canos de mesmo tamanho, mas o .357 é mais poderoso devido ao fato de que os revolvers podem ter um cano mais longo, que seria desajeitado demais em uma pistola.
Em termos de precisão, o .357 magnum tem o mesmo potecial que o .38 special canto-vivo; O próprio revólver .357 pode disparar sem problemas o .38 canto-vivo com bons resultados. Com uma carga sob medida, num revolver limpo e em perfeitas condições, com projéteis canto vivo ou semi canto-vivo de chumbo, e carga pequena de pólvora rápida pode-se obter agrupamentos de duas polegadas a 18 metros com um mínimo de ruído ou recuo.




On April 03 2008 12445 Views



Avatar olhar_urbanoide

Olhar_urbanoide On 03/04/2008

A LEI DA POLVORA TA EM AÇÃO




1 Favorites Groups »

  • brasilgraffiti

    Brasilgraffiti

    visando expandir as possibilidades de artistas urbanos nacionais mostrarem seu talento pro resto do mundo, a criação deste grupo contribuirá pra que deixe de lado alguns preconceitos com o graffiti, mostrando o que há de melhor no Brasil na arte de rua. Abrindo espaço para novos talentos aprimorar-se e buscar novas técnicas para que o nivel sempre cresça!




Tag - Chica
Loading ...