Estimados miembros, os informamos que Fotolog estará inaccesible de forma permanente en las próximas semanas.
El objetivo de esta comunicación es que podáis recuperar todos vuestros datos e informaciones lo antes posible, y en cualquier caso antes del 20 de Febrero del 2016.
Esperamos que podáis continuar con vuestros blogs y compartir vuestras fotos en otras plataformas.
Por favor, haced circular esta información a todos los demás miembros de la comunidad.

Dear members, the Fotolog platform could be permanently unavailable in the upcoming weeks.
We wanted to inform you of this matter, as hosting provider, so you can retrieve your data as quickly as possible and in any event before February the 20th of 2016.
We hope you can continue your blogs and your photos sharing on other platforms.
Do not hesitate to share this information with all other members of the community.

Chers membres, les services Fotolog risquent d'être définitivement inaccessibles dans les semaines à venir.
Nous souhaitions vous en informer, en notre qualité d’hébergeur, afin que vous puissiez récupérer vos données au plus vite et en tout état de cause avant le 20 février 2016.
En espérant que vous pourrez continuer vos blogs et vos partages de photos sur d'autres plateformes.
Pensez également à faire circuler cette information auprès de tous les autres membres de la communauté.

 
Avatar georg_formiga

Hypsiboas faber

Taxonomia:
Filo: Cordados
Sub-Filo: Vertebrados
Super-Classe: Tetrápodo
Sub-Classe: Diapsida
Classe: Lissamphibia
Super-Ordem: Salientia
Ordem: Anura
Família: Hylidae
Gênero: Hypsiboas
Espécie: Hypsiboas faber (Wied-Neuwied, 1821)

Nome popular: Sapo-ferreiro, sapo-martelo, sapo-gameleiro, perereca-paneleira

Distribuição: sudeste e sul do Brasil ao sudeste do Paraguai e nordeste da Argentina. No Brasil distribui-se desde regiões de baixada a regiões serranas, ocorrendo na Mata Atlântica e nos Cerrados. É uma espécie que se adapta a regiões alteradas com facilidade podendo estar, devido a ações antrópicas, ampliando sua distribuição geográfica.
Status Populacional: Até então, esta espécie não se encontra na Lista Nacional das Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção. Porém isso não exclui a possibilidade dessa espécie estar ameaçada, devido a utilização de métodos agressivos ao meio ambiente para expansão das fronteiras agrícolas, sem a menor preocupação com a conservação dos recursos para permitir sua regeneração, vem extinguindo um grande número de espécies de anfíbios e destruindo a biodiversidade em geral.

Hábitos: No período da desova essa espécie é geralmente encontrada em corpos dágua grandes e permanentes, em ambientes abertos ou florestais. Fora desse período reprodutivo é encontrada em florestas sobre as árvores. Os girinos vivem sobre o fundo de lagos (Kwet e Di-Bernardo, 1999).Esta espécie já foi vista sendo predada por caranguejos, serpentes, corujas e, até mesmo, por outros anfíbios. Sabe-se que seus predadores naturais são a cobra dágua e a coruja Suindara.
O repertório acústico desta espécie é excepcional. Até hoje já foram descritos seis distintos cantos. São eles: (I) "canto de anúncio"; (II) "canto de pulo"; (III) "canto de briga"; (IV) "grito de agonia"; (V) "canto de encontro"; (VI) "canto de início".

Alimentação: Os girinos alimentam-se de matéria em suspensão, detritos e organismos animais e vegetais em decomposição (Kwet e Di-Bernardo, 1999). Os adultos alimentam-se de alguns insetos.

Reprodução: O período da desova é de dezembro a fevereiro, quando é encontrada em corpos dágua grandes e permanentes, em ambientes abertos ou florestais. O macho constrói um ninho semelhante a uma pequena cratera (20cm de diâmetro) na margem de lagoas, poças ou açudes, nas clareiras ou bordas da mata onde emitem sons, semelhantes a batidas de um martelo em uma lata, para atrair a fêmea (Izecksohn & Carvalho-e-Silva, 2001; Kwet & Di-Bernardo, 1999).
Os machos, quando em grandes densidades populacionais, apresentam cuidado parental, permanecendo junto à desova impedindo que outros machos a destruam. Eles ainda podem lutar até a morte por disputas de territoriais. São depositados como um filme na superfície do ninho uma quantidade de 3000-4000 ovos pequenos. Os ovos são brancos na parte inferior, que fica submersa, e pretos na parte superior, que fica exposta ao sol, para que o embrião fique protegido contra os raios solares. A película de gel que mantém os ovos na superfície da água não pode ser rompida, senão os ovos afundam e não vingam, pois ficam sem o oxigênio do ar. Por isso, deve-se evitar que mexam nos ninhos. É interessante esta estratégia de isolar a poça do restante de uma lagoa, é uma boa garantia de segurança para os girinos nela retidos. Durante um certo período, os girinos desenvolvem-se dentro dessa poça até que uma inundação os liberem para a lagoa principal. Os girinos do sapo-martelo têm uma adaptação especial para sobreviver com nível bastante baixo de oxigênio na água, situação que normalmente ocorre na água retida nessas pequenas poças. Se a poça secar, os girinos resistem por mais de 24 horas. Eles são relativamente grandes e têm cauda preta que contrasta com o corpo pardacento. No verão subseqüente ao nascimento, os girinos tornam-se maiores e mais escuros, e então metamorfoseiam. O tempo total de desenvolvimento dos girinos é cerca de um ano.

Fonte foto: Beckmann, 2008.
Fonte literatura: http://www.ibama.gov.br/ran






On July 06 2008 275 Views



Avatar ismael_bio

Ismael_bio On 08/07/2008

altas perereca
;D


Avatar biopinguinho

Biopinguinho On 07/07/2008

legal heim
;*


Avatar aletelhado

Aletelhado On 07/07/2008

MASSA LOKO EU TENHO FOTOS DELA COM A COLORAÇÃO BEM DIFERENTE!!


Avatar qjozo

Qjozo On 06/07/2008

adoro essa perereca
uma das minhas favoritas
as hypsiboas são muito massa


Avatar leo_am

Leo_am On 06/07/2008

so






Tag - Graffiti
Loading ...