Avatar pseudokane3_5

“QUANDO TU GOSTAS DE ALGO, TU GOSTAS MESMO, NÉ?”

“- Sim, Rosane de Castro, eu faço questão de levar à frente o tal do amor”...

O diálogo acima ocorreu no final da tarde de ontem, quando eu entrei em contato com o álbum “Tem que Acontecer” (1976) pela primeira vez. Devoto que sou do músico capixaba Sérgio Sampaio, considero “Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua” (1973) um dos melhores e mais coesos discos já lançados no Brasil. Protelei por muito tempo o contato com obras posteriores deste artista. Ontem, esta procrastinação acabou!

Num primeiro instante, tomei um susto com a sonoridade de “Até Outro Dia”, samba que abre o disco. À medida que fui avançando na audição, constatei que as marcas registradas do cantor continuavam meritórias: “A Luz e a Semente” (faixa 07), a faixa-título do disco (08) e a divertidíssima “Filho do Ovo” (11) são canções extraordinárias. Por causa delas – e não só – fiquei repetindo o disco diversas vezes, na íntegra. Após a terceira execução do mesmo, minha mãe interpelou-me conforme descrito acima. Sorrimos juntos, apreciando o que ouvíamos...

Enquanto isso, a letra de “Quanto Mais” (faixa 09) me atinge:

“Quanto mais eu sofro, mais coração me aparece
Quanto mais eu sou criança, mais o peito s'entristece
Quanto mais entro na dança, mais o sangue se aquece.
Quanto mais fico sentado, mais o corpo é que padece"
...

“Sim, mãe, eu gosto mesmo!”
WPC>


música brasilidade identificação paixonite cotidiano família enfrentamento

On October 25 2014 at Sergipe, Brazil 8 Views





Tag - Cosplay
Loading ...