Avatar bluelines

GUY DE MAUPASSANT (1850-1893) – CONTOS

No mundo da Literatura, quando se fala sobre qual o melhor escritor que se valeu do gênero Conto, todo mundo discute ou quer ter sua opinião. Desde o curso de Letras que essa briga é sempre bem acirrada. Seria Anton Tchekhov? Jack London? Ernest Hemingway? Bem, isso não vem ao caso, pois até mesmo o grande Machado de Assis conseguiu alongar um conto e fazer dele uma das melhores referências para o mundo literário, a exemplo de ‘O Alienista’. Não é fazer a pergunta e criar discussões. É conhecer e entender a forma e estilo de cada escritor, sua época, sua forma de cativar o leitor.




Alguns citam que Maupassant é o pai do conto francês. Acontece que nunca dei valor a essa francês, contudo mudei de ideia quando comecei a fazer as aulas opcionais de Literatura Francesa em meu curso. Queria falar sobre a literatura fantástica, mas que seguisse os moldes dos escritores do Século XIX. Eram muitos, eu sei. Mas, segundo o professor, Maupassant era a ‘mina de ouro’. E eu sempre pensei que o escritor fizesse (somente) aquelas histórias de paixão, de temas da época como religião ou classes sociais. Foi quando comecei a ler ‘A Cabeleira’ (‘La Chevelure’) e me espantar com esse escritor de outra faceta; que lá, na metade do século, já escrevia coisas sobre necrofilia, fantasmas, outros possíveis seres (aliens?), loucura, solidão, fome...E fiquei assim, atônito, e um trabalho que parecia ser difícil, acabou virando fácil e o conto foi trabalhado por mim em torno de umas 20 páginas (com elogios do professor).






E sempre quis achar mais contos de Guy. Infelizmente, poucas traduções (o infeliz sou eu, que parou de estudar francês para ler tudo no original). Esse da foto do post (ao lado do escritor) muito me interessou e já estou caçando em sebos (mas acho muito difícil encontrar). Os poucos que achei, como ‘O Horla’ ('Le Horla'), só me fizeram acrescentar ainda mais meu carisma por esse literato francês. Poe (EUA), Rubião (Brasil), Kafka (Tchecoslováquia), Calvino e Buzatti (Itália) com certeza devem muito de seus trabalhos a esse estupendo francês – que certo dia me fez jogar por terra a teoria de que é preciso não julgar um livro por sua capa.





Sobre ‘O Horla’:
http://maquinariodanoite.blogspot.com/2007/09/horla-guy-de-maupassant-resenha-de.html




Sobre Maupassant:
http://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=11952
http://seer.fclar.unesp.br/index.php/lettres/article/viewFile/2039/1667




Observação:
Sobre ‘La Chevelure’ eu não deixo link pois não há sites em português falando detalhadamente sobre esse conto. Para se ter uma ideia de como sofri na época ao fazer o trabalho sobre ele. Era eu, o professor e um livro de crítica francesa lido na missão quase impossível.




Categorias:
Literatura Fantástica, Escritores Franceses, Contos Imperdíveis.





Abraços a todos e um bom feriado.
Nos vemos na quinta. Até lá.





On April 20 2010 71 Views




Flash of bluelines

  • interlude


Tag - Music
Loading ...