Estimados miembros, os informamos que Fotolog estará inaccesible de forma permanente en las próximas semanas.
El objetivo de esta comunicación es que podáis recuperar todos vuestros datos e informaciones lo antes posible, y en cualquier caso antes del 20 de Febrero del 2016.
Esperamos que podáis continuar con vuestros blogs y compartir vuestras fotos en otras plataformas.
Por favor, haced circular esta información a todos los demás miembros de la comunidad.

Dear members, the Fotolog platform could be permanently unavailable in the upcoming weeks.
We wanted to inform you of this matter, as hosting provider, so you can retrieve your data as quickly as possible and in any event before February the 20th of 2016.
We hope you can continue your blogs and your photos sharing on other platforms.
Do not hesitate to share this information with all other members of the community.

Chers membres, les services Fotolog risquent d'être définitivement inaccessibles dans les semaines à venir.
Nous souhaitions vous en informer, en notre qualité d’hébergeur, afin que vous puissiez récupérer vos données au plus vite et en tout état de cause avant le 20 février 2016.
En espérant que vous pourrez continuer vos blogs et vos partages de photos sur d'autres plateformes.
Pensez également à faire circuler cette information auprès de tous les autres membres de la communauté.

 
Avatar au_tour_du_monde

Durban Stadium - África do Sul

DURBAN, África do Sul - Se o turista que for à Copa do Mundo-2010 poderá, entre uma partida e outra, aproveitar as belezas da África do Sul e subir a famosa Montanha da Mesa, na Cidade do Cabo, a bordo do famoso bondinho, por que não usar um teleférico para percorrer parte do arco que está a engalanar um dos mais espetaculares estádios de futebol já construídos?

Em Durban, cidade litorânea a 565km de Johannesburgo, o Estádio Moses Mabhida - palco de sete jogos do Mundial do ano que vem - é o recente exemplo de que futebol e turismo devem caminhar juntos. Inaugurado em junho, um ano antes do megaevento, o palco de Brasil x Portugal, pela terceira rodada do Grupo G, no dia 25 de junho, já rende dinheiro à prefeitura como atração não apenas para os fãs do futebol.

Desde novembro, de terça-feira a domingo, 25 turistas de cada vez podem embarcar no "Sky Car", um funicular meio teleférico, meio trem, que sobe em pouco mais de dois minutos os trilhos para atingir o lounge construído a 106m de altura, no ponto mais alto do estonteante arco sobre o gramado. O preço do passeio vale a pena: 50 rands (R$ 12), incluído o estacionamento.

Quando as duas portas se abrem, há salgadinhos, canapés e bebidas para complementar a vista de contrastes: a Praia Norte, no deslumbrante do Oceano Índico, à esquerda, e a velha oficina de trens urbanos, à direita, nos fundos do palco da Copa, ao lado do velho Estádio ABSA, local de jogos de rúgbi.

Dos fundos do lounge, enxerga-se uma panorâmica de Durban, que se moderniza para a Copa-2010. Um calçadão com pouco mais de 400m de extensão está em construção para ligar o estádio à praia. Assistir aos astros do planeta bola de sunga e camiseta até será possível. Afinal, Durban se orgulha de ter o melhor clima entre as 12 sedes do Mundial-$2010 - o primeiro realizado no hemisfério Sul desde o da Argentina-1978, portanto, no inverno.

- Aqui em Durban, temos duas estações do ano: verão e verão - ri Julie-May Ellingson, chefe da Unidade de Projetos Estratégicos da Copa-2010 na cidade.

De fato, enquanto em Johannesburgo, torcedores jamais vão encontrar termômetros acima dos 15 graus em junho e julho, durante o dia, e dos seis graus a partir do pôr do sol, em Durban, as temperaturas médias ficam entre os 19 e 25 graus. Na praia, graças a uma corrente quente, a água do mar é atrativa, sensação bem diferente do frio que torcedores encontrarão em Porto Elizabeth e Cidade do Cabo, outros dois palcos da Copa à beira-mar.

- Somos a sede mais quente da Copa do Mundo. Por causa do clima, quem não conseguir ingresso no estádio, pode se divertir no único Fan Park (herdeiro da Fan Fest da Alemanha-2006) na beira da praia, vendo jogos no telão e assistindo a shows - avisa o governador da província de KwaZulu-Natal, Zweli Mhhize.

Em três anos de obras, a construção do Moses Mabhida consumiu 3,10 bilhões de rands (R$ 732 milhões) dos 800 bilhões (R$ 159,5 bilhões) investidos em infraestrutura geral da África do Sul para a Copa. Houve atrasos, greves de trabalhadores e temor que a obra não ficasse pronta.

Além do "Sky Car", outra atração turística do estádio de 68 mil lugares é a "Caminhada da Aventura". Depois de 550 passos acima, o corajoso que pagar 70 rands (R$ 16,50) chegará à face Sudeste do arco. Em breve, poderá se arriscar num salto amarrado à corda do bungee jumping.

Vários dos 128 camarotes e 18 business clubs, desde novembro, são local preferido para festas de fim de ano de empresas, casamentos e aniversários. Assim, o deslumbrante e novinho em folha Moses Mabhida, que custou R$ 232 milhões a mais do que o previsto para a reforma do sexagenário Maracanã, será menção obrigatória nos guias turísticos da África do Sul.

http://www.fotolog.com/balletproarte
http://www.fotolog.com/we_love_darcey




On June 15 2010 56 Views




au_tour_du_monde

Favorite au_tour_du_monde

unknown - 12/04
299 Photos
Brazil





Tag - Felicidad
Loading ...